Notícias


Operadores tentam direcionar petróleo russo contaminado para a Ásia

Empresas de trading como Vitol e Unipec estão enviando cerca de 700 mil toneladas de petróleo russo contaminado para a Ásia, em uma tentativa de escoar barris rejeitados por compradores na Europa, segundo fontes de mercado e dados de embarcações.

Um importante oleoduto russo para a Europa, Druzhba, e um importante porto, Ust-Luga, foram contaminados com cloreto orgânico, que pode danificar equipamentos de refino.

Como resultado, a Rússia foi forçada a reduzir exportações em sua pior interrupção no fornecimento na história.

Vitol e Unipec estão mirando principalmente refinarias independentes chinesas, conhecidas como “teapots”, que mostraram interesse em ficar com o petróleo, disseram operadores.

Segundo fontes da Reuters em refinarias chinesas, foram apresentadas a elas recentemente cargas de petróleo dos Urais que contêm cloreto orgânico em um limite de entre 30 e 50 partes por milhão (ppb) a 200 ppm. As fontes não mencionaram os preços.

Compradores têm sido cautelosos, uma vez que o petróleo contaminado precisa ser armazenado em tanques e diluído diversas vezes com petróleo limpo para reduzir o conteúdo de cloreto orgânico de modo que este não danifique equipamentos de refino.

“O preço final está para ser definido. Mais testes de qualidade são necessários. Então será possível avaliar o preço, como ele pode ser refinado e se ele pode ser refinado mesmo”, disse um operador de uma grande empresa chinesa à Reuters.

Cloreto orgânico no petróleo pode causar corrosão e destruir unidades de refino.

“Mostraram para mim barris com 200 ppm e eu disse: ‘Não, obrigado’”, disse um operador em Cingapura.

“A logística é muito desafiadora e só grandes refinarias podem lidar com isso”, acrescentou ele, dizendo que uma carga com 200 ppm de cloreto orgânico precisaria de 20 cargas com o mesmo volume de petróleo para ser diluída até o nível normal de 10 ppm.

Para os operadores, estimar o valor do petróleo é a parte mais difícil, uma vez que não há um precedente de tal situação.

“Ninguém sabe como esses barris devem ser negociados. Com um desconto frente às cargas de Brent da ICE que chegam à China, mas com certeza o nível certo de desconto ninguém sabe”, disse um segundo operador.

Operadores europeus disseram que cargas contaminadas foram oferecidas com desconto de entre 10 e 20 dólares por barril, mas poucos compradores mostraram interesse.

NAVIOS E DESTINOS

Entre as embarcações que seguem para a Ásia está o Sonangol Rangel, de 130.000 toneladas, fixado pela Vitol junto à Skaw STS, da Dinamarca, em 15 de maio, que segue para Yingkou, na China dados de embarcações no Refinitiv Eikon.

Um navio-tanque de grande porte (VLCC) New Comfort, fixado pela Unipec, da China, também carrega 270 mil toneladas de petróleo dos Urais e está atualmente carregando em Skaw para navegar até Ningbo, na China.

Outro navio, VLCC Amyntas, está indo para o porto de Southwold para carregar 270 mil toneladas de Urais para entrega a Yinkgou na China, segundo operadores e dados do Refinitiv Eikon.

A Sinopec, controladora da Unipec, da China, não quis comentar. A Vitol também se recusou a comentar.

  •   Av. Coronel Eugenio Muller, 405
         Centro, Itajaí - SC
  •   (47) 3241-9100
  • ogmo@ogmoitajai.com.br
  • CNPJ: 86.934.536/0001-08. IE: isento.